Notícia real e objetiva
Informações divergentes são sobre o local onde Carlos Henrique Lira foi abordado e alguns procedimentos adotados. Jovem de 21 anos foi morto na quarta-feira (10) após fazer um assalto.

O Grupo Tático Operacional (GTO) da Polícia Militar apresentou duas versões sobre a morte de Carlos Henrique Lira, de 21 anos, que cometia assaltos em Santarém, no oeste do Pará. O caso aconteceu na tarde de terça-feira(10) no bairro Aeroporto Velho após Carlos Henrique e um menor de 17 anos, assaltarem uma servidora pública.

A primeira versão foi dada pelo sargento Gildson dos Santos Soares, que estava entre os militares que participaram da operação. Segundo o policial, Carlos Henrique e o adolescente estavam cometendo assaltos no município desde às 9h em um motocicleta vermelha, mas a dupla teria trocado de veículo à tarde. Os dois estariam com armas de fogo.

Após ser acionada para atender uma ocorrência de assalto, a equipe do GTO foi até o local e constatou que populares tinham capturado o menor enquanto Carlos tinha fugido. “Ele efetuou alguns disparos contra a população e fugiu. Nós fizemos o acompanhamento e encontramos o indivíduo num terreno baldio próximo à FIT. Ele atirou contra a guarnição e para tentarmos salvaguardar a nossa vida, nós tivemos que efetuar alguns disparos contra o indivíduo. Ele foi atingido e nós levamos ao PSM, mas ele não resistiu”, contou.

Na manhã desta quarta-feira (11), o comandante do GTO, Major Wilton Chaves, detalhou a ação que resultou na morte de Carlos Henrique. De acordo com ele, foram feitas buscas na área para capturar o suspeito, mas os militares não foram informados das características do assaltante.

Ao avistar uma viatura, Carlos Henrique teria levantado os braços e informado aos policiais que também estava perseguindo um dos assaltantes. Os PMs o revistaram e não encontraram arma, em seguida o conduziram ao carro para que ele ajudasse nas buscas.

Em conversas com a equipe do GTO, o jovem informou que o possível assaltante teria jogado a arma em um terreno. Ao se dirigirem ao local, um dos policiais saiu da viatura para verificar se encontrava o revólver. Nesse momento Carlos teria saído do carro e corrido para pegar a arma. “O segurança resguardou a vida do policial que estava modulando, e o indivíduo chegou na arma que estava escondida em um terreno baldio que ele tinha jogado, justamente para enganar e querer sair da situação. O segurança efetuou o disparo e de imediato acionaram o 192 (Samu) para leva-lo até o hospital”, contou Wilton.

Conforme o comandante, houve troca de tiros entre os policiais e o assaltante. Após o acontecido, militares seguiram para a 16ª Seccional de Polícia Civil e registraram a ocorrência.

Investigações

Ao G1, o comandante do CPR1 coronel Héldson Tomaso disse que em caso de mortes é feito uma investigação interna e das Polícias Civil e Judiciária para fazer um levantamento concreto do que aconteceu. Todo o procedimento realizado é estabelecido no Conselho de Segurança Pública integrado a Secretaria de Segurança Pública do Pará. O armamento dos policiais foi apreendido.

Por : Blog do Waldemir Santos

Fonte : G1 Santarem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade