Notícia real e objetiva
                        A mãe do recém-nascido encontrado em uma vala de esgoto, no dia 23 de agosto,


Reprodução

A polícia constatou que o bebê foi abandonado pela mãe no esgoto com apenas duas horas de vida. Câmeras de segurança de residências registraram a mulher passando de bicicleta com uma sacola pendurada no guidão. Próximo ao esgoto ela desce, encosta a bike em um muro e segue por um beco a pé. É lá que ela deixa o filho, dentro da sacola, envolto em lençóis.

Além das imagens, a polícia colheu vários depoimentos de testemunhas que ajudaram a identificar a mulher. Exames de DNA confirmaram a maternidade e paternidade. Portanto, a mulher acabou confessando. “Ela não tinha como negar”, disse o delegado Dalrson Macedo.

O delegado afirma que o mais chocante de tudo é a frieza com que a mulher tratou do assunto durante seu depoimento. “O que nos deixa surpresos é que isso vai contra a ordem natural das coisas, pois pais querem sempre proteger seus filhos. Ela tratou do assunto com muita frieza, planejou tudo desde que descobriu estar grávida, pois não fez nenhum exame pré-natal e nem procurou um hospital para ter a criança”, declara.

Conforme o delegado, Joyce justificou o abandono afirmando que o marido havia ameaçado deixá-la caso ela engravidasse novamente, pois eles já tinham uma filha, de 1 ano e quatro meses. “Ela disse que escondeu a gravidez do marido, e quando ele prestou depoimento confirmou a versão dela, se mostrando muito revoltado com isso tudo”, destaca. “Além disso, o pai demonstrou interesse na guarda da criança, mas, como a situação é muito estranha e ainda não dá para provar se ele realmente não sabia, quem decidirá (pela guarda) é a Justiça”.

ABANDONO

O recém-nascido ficou no canal cerca de uma hora e meia, quando moradores ouviram um choro e começaram a procurar o bebê, acionado a Polícia Militar quando o localizaram, ainda com o cordão umbilical. Uma testemunha contou que o menino “estava sem fôlego, chorando bastante, todo molhado e com frio”.

O menino foi levado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) dos Torrões e transferido para o Hospital Barão de Lucena (HBL), onde recebeu o nome provisório de José Fernando. Com 49 centímetros e 2,675 quilos, ele recebeu alta no dia 29 e seguiu para uma casa de apoio, onde permanece aguardando decisão judicial sobre o destino. Várias pessoas manifestaram interesse em adotá-lo, inclusive o cabo da PM que o resgatou do esgoto.

A Polícia Civil pediu a prisão preventiva de Joyce, mas a Justiça ainda não a decretou.

Por : Blog do Waldemir Santos

(Com informações do Uol)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade