Notícia real e objetiva

Celso Rodrigues/Diário do Pará

Os professores da rede estadual de ensino irão fazer uma paralisação das atividades no próximo dia 31 deste mês. O objetivo é aumentar a pressão sobre o governador Simão Jatene para que o estado cumpra o pagamento do piso 2016, estipulado por lei federal. A paralisação foi decidida em assembleia realizada nesta quinta-feira (17) nas dependências da Escola Estadual Cordeiro de Farias.

No mesmo dia da paralisação haverá uma audiência entre Sintepp (Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Pará) e SEAD (Secretaria de Estado de Administração). A escolha não foi aleatória. Durante o ato os servidores acompanharão a audiência. Caso não haja acordo, os trabalhadores da educação prometem greve geral a iniciar já no primeiro dia de setembro.

O QUE QUEREM OS PROFESSORES

Os servidores da educação exigem que o governo cumpra decisão judicial que obriga o estado a pagar o piso salarial atualizado de R$ 2,135,65 para a categoria. Atualmente o salário base dos trabalhadores corresponde ao piso estabelecido ainda em 2015, que é de R$ 1,917,78.

O QUE DIZ O GOVERNO

O governo do estado se recusa a pagar o novo piso e recorreu da decisão do Tribunal de Justiça do Pará que obriga o estado a pagar o novo piso salarial aos servidores. Para Simão Jatene os profissionais da educação já recebem acima do valor do novo piso. Para chegar a esta conta o governo soma junto ao salário base as gratificações e outros benefícios.

UM ACORDO É POSSÍVEL?

O futuro da educação pública paraense irá depender do julgamento do recurso apresentado pelo Estado, que não tem prazo nem data definida para acontecer. Uma situação de desfecho menos provável é um acordo entre governo e servidores.

POST : WALDEMIR SANTOS 

(Igor Wilson/DOL)

 

Publicidade