Notícia real e objetiva

 

(Foto: Ney Marcondes/Diário do Pará

Após 10 dias desaparecido, foi encontrado morto, ontem pela manhã, Jorge Alef Gomes Ventura, de 23 anos. Ele havia sumido desde o último dia 2, quando foi visto saindo de casa por volta de 5h, no bairro da 3° Travessa, em Benevides, Região Metropolitana de Belém. O corpo foi encontrado dentro de uma mata fechada, pertencente a uma congregação religiosa.

Desempregado, o jovem era usuário de drogas e teria saído, segundo a irmã, Gessiane Gonçalves, em busca de entorpecentes. Em seu último trabalho, Jorge atuava como ajudante de pedreiro no Seminário de Nossa Senhora da Divina Providência.“Difícil aguentar tanto tempo sem notícias e agora saber que ele partiu dessa forma, tão inesperada. É um grande sofrimento”, desabafou Gessiane.

Um dia antes, ela ainda pediu que o marido reunisse algumas pessoas para fazer buscas naquela área, após receber um telefonema anônimo. “Anteontem de tarde, alguém me ligou dizendo que era para procurarmos por ele nessa área”, lembra ela, que chegou a perguntar quem estava falando ao telefone, mas a ligação foi desligada logo em seguida.

PERÍCIA

Com a boca amordaçada e mãos amarradas em forma de ‘x’, o corpo de Jorge foi retirado de um igarapé que corta o matagal do terreno. De acordo com o perito, Sandro Lemanski, o cadáver não tinha perfurações, mas a cabeça estava toda fraturada. “Não podemos determinar a ordem como as coisas ocorreram: se as mãos foram amarradas antes e para que ele não gritasse, foi amordaçado e logo em seguida agredido até a morte ou o contrário”, informa.

Segundo Lemanski, havia evidências de que o corpo aparentava um período menor a 10 dias. “O estado em que o cadáver foi encontrado não é compatível com o período de 10 dias. Não tem vestígios de pele se desprendendo do corpo ou outro sinal que mostre um tempo tão grande assim”, explica.

O caso será inicialmente investigado por policiais civis da Delegacia de Benevides.

POST:WALDEMIR SANTOS

POR:DOL

(Wal Sarges/Diário do Pará)

Publicidade